terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Reunião de OP's (Ensino Regular e EJA)

Agradecemos a todas as OP's que participaram da nossa última reunião ocorrida no dia 27/11 e colaboraram para a construção de um novo olhar e relação a educação.

Tivemos como pauta os seguintes assuntos:

  • Orientações para o pré-coc;
  •  Discussões sobre: progressão parcial, aprovação e retenção no Ensino Regular e EJA;
  •  Agendamento de culminâncias;
  •  Projetos para 2013.
Deixamos aqui a mensagem distribuída na reunião.



Pelo muito que você tem representado para nós,
queremos dedicar a você os melhores votos de um Natal cheio de paz,
que nós possamos continuar na emoção de levar emoção,
de desejar felicidades, de reconciliar sentimentos,
de encurtar distâncias através das palavras que juntas formam mensagens que agora dedicamos a você.

Desejamos que neste Natal,
a luz que guia o mundo possa também clarear os seus sonhos,
feliz Natal, que os anjos acampem ao seu redor para sempre te proteger,
amparar nessa longa caminhada da vida,
para que o caminho seja repleto de flores e frutos.


Estamos felizes com o nosso trabalho,
pois a cada dia fazemos novos amigos;
a cada dia aparecem mais pessoas encantadoras como você.

Feliz Natal é o que nós da Pousada do Pinheiro, desejamos a você!

4º EPE - O caminhar da minha escola

Parabenizamos a todas as escolas pelo belíssimo trabalho. O 4º EPE foi um sucesso porque todos se empenharam em mostrar as ações realizadas. Estamos muito orgulhosos do grupo com o qual trabalhamos.



*Fotos em breve*

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Vamos participar!!!!

23/out (3ª feira)
14:00 h = Matemática (anos finais)
18:00 h = professoras de II a IV fase (EJA), História e Geografia (EJA)
 
       
 
 Sem mais,
Professores Cooperadores e Coordenação

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Feliz dia dos professores


Homenagem aos professores

"Trago-te um recado de muita gente. Houve gente que praticou uma boa ação, Manda dizer-te que foi porque Teu exemplo convenceu. Houve alguém que venceu na vida, E manda dizer-te que foi porque Tuas lições permaneceram E houve mais alguém que superou a dor, E manda dizer-te que foi a lembrança De tua coragem que ajudou. Por isso que és importante... O teu trabalho é o mais nobre, De ti nasce a razão e o progresso. A união e a harmonia de um povo! E agora... Sorria!! Esqueça o cansaço e a preocupação, Porque há muita gente pedindo a Deus Para que você seja muito Feliz!!! 
Parabéns pelo seu dia!!!!"




terça-feira, 2 de outubro de 2012

Divulgação: Colóquio Internacional: o Colapso das ditaduras

Caros colegas,





divulgamos o Colóquio Internacional que ocorrerá de 24 a 26 de outubro.

Para maiores informações acesse o site do evento aqui.



Debate: Dívida com a Educação de Jovens e Adultos (EJA)



Por: Juca Gil*


DEBATE:


                  O aumento do tempo de escolaridade obrigatória no Brasil - que deve ser assegurado para todos os alunos dos 4 aos 17 anos e tem de ser implantado progressivamente até 2016 - gera expectativas e confusões quanto aos impactos dessa mudança. Uma das interpretações é a de que todo cidadão que não esteja dentro da referida faixa etária não terá acesso à Educação - um engano, visto que a oferta do Ensino Fundamental, agora com nove anos de duração, continua sendo obrigatória a todo brasileiro, independentemente de sua idade. Isso quer dizer que uma senhora com 85 anos que não concluiu esse segmento tem tanto direito a estudar quanto uma criança de 11 anos. E o poder público deve garantir esse acesso, cabendo aos governos e às escolas se organizarem para dar conta de suas obrigações. É essencial enfatizar essa informação, pois aqueles que não puderam terminar os estudos na fase considerada ideal de sua vida continuam tendo dificuldade em fazer valer seus direitos - e o país segue acumulando uma dívida para com essas pessoas. 

Na tentativa de fortalecer as políticas educacionais para esse público, o Conselho Nacional de Educação (CNE) levou o assunto à discussão e aprovou a resolução nº 3/2010, que normatiza aspectos da Educação de Jovens e Adultos (EJA). O documento reafirma, por exemplo, a idade mínima de 15 anos para frequentar cursos de EJA e realizar exames de conclusão relativos ao Ensino Fundamental e de 18 anos no caso do Ensino Médio. Também estipula a duração mínima dos cursos presenciais da modalidade em 1,2 mil horas para o Médio e 1,6 mil horas para os anos finais do Fundamental. Sobre os anos iniciais desse segmento, a resolução do CNE não determina prazos para os cursos, remetendo tal decisão às redes de ensino estaduais e municipais, além de proibir aulas a distância. 



Chama a atenção o fato de essa norma incentivar políticas específicas para os adolescentes de 15 a 17 anos devido à compreensão de que esses teriam características e necessidades diferenciadas dos demais alunos de EJA. A modalidade precisa ser adequada também para os cidadãos hospitalizados, os privados de liberdade, as populações indígenas e quilombolas e os moradores do campo. 



E mesmo para os habitantes das grandes cidades é necessário romper com alguns costumes, como o fato de a oferta de EJA ser predominantemente realizada no período noturno. Os não escolarizados que trabalham nas madrugadas estudarão quando? Os vigias noturnos e as faxineiras dos prontos-socorros e dos shopping centers estão fadados a não ter diploma? As cozinheiras e os garçons que garantem nosso jantar não podem ir à escola? A dona de casa que precisa ficar à noite em casa com seus filhos e marido perde o direito ao ensino? Como fazem aqueles que vivem em regiões assoladas pela violência e têm de permanecer em casa quando a noite cai? 



É essencial manter as escolas abertas nos períodos matutino e vespertino para os jovens e adultos estudarem. Um modelo único tende a não respeitar as especificidades dos diversos perfis a que a modalidade atende, tornando-o propenso ao fracasso. Será que é tão difícil adequá-lo às demandas de seu público?

*O autor é professor de Políticas Educacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).


terça-feira, 18 de setembro de 2012

Alteração de datas: Encontros em Cooperação


Caros colegas,

as datas dos encontros precisaram ser alteradas!!!!

ATENÇÃO!!!!!


Cronograma - Encontro com os Professores Cooperadores do 2º Segmento e EJA


“ENCONTROS EM COOPERAÇÃO”


09/10/2012 – 
terça-feira
10/10/2012 - quarta-feira
11/10/2012 – quinta-feira
Manhã - 2º segmento
Ciências
(Alice)
Ed. Fisica 
(José Henrique) 
Inglês 
 (Jorge)
Manhã  - 2º segmento
Matemática
(Leandro)
Tarde - 2º segmento 
Geografia e História 
(Nizete e Carine)






Noite - EJA 
Matemática e Português
(Denise Prata e Josiane)


Noite - EJA
Geografia e História 
(Nizete, Carine e Daiana)





























09/10 - 14:00 - 17:00 - Op's de segundo segmento
         -  18:00 - 21:00 - Op's da EJA
19/10 - Encontro com os Coordenadores de Meio Ambiente (manhã)

sábado, 15 de setembro de 2012

Dica de site

 Belo Trabalho ...

Visite!   http://museuafrodigitalrio.org/v2/

ATIVIDADE CULTURAL PEDAGÓGICA


 
 XI ENCONTRARTE- ENCONTRO DE ARTES CÊNICAS DA BAIXADA FLUMINENSE - WWW.ENCONTRARTE.COM.BR 
CONTATO@ENCONTRARTE.COM.BR  21-9747-0599 . 8288-6253 .


26/09 – 4ª Feira – 15h – JOSÉ SISNEIROS – Teatro Sylvio Monteiro – 14 Anos
                                               
                                                “CONSELHO DE CLASSE”

Quatro professores recolhidos em um manicômio vão à sala de psiquiatria, na qual passarão por uma sessão de análise investigativa da qual serão tiradas conclusões sobre delitos cometidos em suas atividades profissionais.

 



terça-feira, 11 de setembro de 2012

 Caros colegas,

disponibilizamos um modelo de plano de aula, esperamos que seja útil.


PLANO DE AULA

MATEMÁTICA SALARIAL
Objetivos
- Refletir sobre as operações de adição e subtração e saber como relacioná-las.
- Ler e preencher tabelas.
- Esclarecer dúvidas sobre descontos e acréscimos ao salário.

Conteúdos
- Números e operações.
- Campo aditivo.

Anos
4º, 5º e 6º
Tempo estimado
Duas aulas.

Material necessário
Cópias do modelo de contracheque.

Desenvolvimento
PREPARAÇÃO Redija um modelo de contracheque que seja próximo da realidade de seus alunos. O ideal é que ele contenha tanto acréscimos quanto deduções do salário bruto (veja uma sugestão abaixo). Deixe em branco o nome do empregado, o da empresa e o resumo dos rendimentos.

1ª etapa 
Inicie a atividade debatendo a função do contracheque. Explique que se trata de um documento em que a empresa especifica o ordenado bruto do funcionário, as deduções (de Imposto de Renda, INSS) e os acréscimos (salário-família, horas extras, gratificações). Passeie pela nomenclatura: o que significa cada linha? A que mês o recibo se refere? Pergunte aos alunos que trabalham como é o contracheque deles - tomando o cuidado de não criar constrangimento, uma vez que muitos trabalham na informalidade. Aparecem outros itens além dos apresentados?

Flexibilização para deficiência visual (baixa visão, uso de óculos e lupa)
Apresente ao aluno o documento em tamanho ampliado e/ou projete-o em data show.

2ª etapa 
Divida a turma em grupos de quatro alunos e peça que calculem o total de vencimentos. Observe as estratégias utilizadas para resolver o problema e selecione quais delas quer colocar em discussão. Pergunte quais são as vantagens e as desvantagens dos métodos utilizados. Repita o procedimento para obter a soma dos descontos e o valor líquido a receber.

3ª etapa 
Proponha à classe o seguinte enunciado: "O trabalhador que recebeu este salário precisa pagar as seguintes despesas: alimentação: 160 reais; água: 29 reais; luz: 50 reais; aluguel: 170 reais; prestação de um rádio: 40 reais. Qual é o total de despesas a pagar? Quanto sobra do salário?" Dessa vez, deixe cada um trabalhar individualmente. Discuta novamente as estratégias de resolução.

Flexibilização para deficiência visual (baixa visão, uso de óculos e lupa)
Organize um trio que vá favorecer sua maior participação. Observe o trabalho do grupo e faça intervenções conforme perceber que ele necessita de mais conhecimento para interagir com a discussão.

Avaliação
Examine os cadernos, verificando as estratégias utilizadas e a forma de registro do cálculo de cada aluno. Para os que não escreveram nada, peça que explicitem verbalmente o caminho feito "de cabeça" e vá anotando conforme falam.

Modelo
EMPRESA: __________________________________
RECIBO DE PAGAMENTO DE SALÁRIO - REF: AGOSTO/2012
FUNCIONÁRIO: _____________________________
CARGO: ____________________________________


DESCRIÇÃO
VENCIMENTOS
DESCONTOS
SALÁRIO
458,00
---
ALIMENTAÇÃO
130,00
---
TRANSPORTE
---
27,00
INSS
---
50,00
TOTAL DE VENCIMENTOS
TOTAL DE DESCONTOS
LÍQUIDO A RECEBER

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Agenda de Setembro.

Olá,

Divulgamos a agenda das atividades deste mês de setembro

Dia 04/09- reunião às 13h no CIEP 136, com as OP's de todos os segmentos para tratar do VIRADÃO PEDAGÓGICO - Profª Carla Mello e equipe dos ANOS INICIAIS.

Dia 19/09- Palestra com o Professor Arnaldo Niskie, às 10h, na Igreja do Nazareno localizada na  Rua João Pessoa, em frente ao AFA.

Dia 21/09 - VIRADÃO PEDAGÓGICO - 8h  no CIEP 186.

Dia 27/09-  3º COC.


Boa semana!

   

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Formação Continuada para professores da EJA.

Caros colegas, 

A partir de sábado 15 de setembro terá início um curso de formação continuada para professores que atuam na modalidade Educação de Jovens e Adultos. O curso é quinzenal e tem duração de dois anos e será promovido pelo IFRJ em parceria com a Prefeitura Municipal de Nilópolis através da Secretaria Municipal de Educação.

Os interessados devem comparecer ao IFRJ campus Nilópolis com seus documentos pessoais (Carteira de Identidade, CPF, Comprovante de Residência e diploma).

O curso será de 08:00h às 15:00h aos sábados.
Maiores informações entre em contato com a SEMED no telefone: 2692-4947.




Mais uma escola da nossa rede oferece Educação de Jovens e Adultos.

Caros colegas,

é com grande felicidade que comunicamos que mais uma unidade da nossa rede passa a integrar nossa lista de escolas com a modalidade Educação de Jovens e Adultos.


A E. M. Prof. Edyr Ribeiro localizada na Rua Maria da Gloria Baltar, sem número, Centro, Nilópolis conta com turmas de 1º segmento na modalidade Educação de Jovens e Adultos. 





Maiores informações na própria unidade escolar ou na SEMED.

Telefones de contato: 26535-340 (E. M. Edyr Ribeiro)
                                 2692-4947 (SEMED)

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Viradão Pedagógico


Fique de Olho!

Vem aí o Viradão Pedagógico


Projeto: Cinema em Debate

Caros colegas, 
disponibilizamos o projeto Cinema em Debate que já foi enviado para os e-mails das unidades escolares. Através desse projeto visamos a integração e a formação crítica dos alunos, a socialização de experiências e vivências de docentes e discentes e incentivar a reflexão, proporcionando um campo de experiência crítica voltado para o conhecimento social. 

Gostaríamos de relembrar que esse projeto foi formulado a partir da ideia dos professores de História e Geografia da rede no ano de 2010. Em 2011 ele foi realizado nas escolas com EJA com sucesso e agora em 2012, compartilhamos com vocês, esperando repetir os ótimos resultados. 

 Clique aqui e baixe o projeto.



OBS.: De acordo com a nova política do 4shared para baixar qualquer arquivo ali hospedado, é necessário ter uma conta no site. Estamos procurando outros sites com o mesmo perfil que não necessite se cadastrar e assim que o encontrarmos, transferiremos nossos arquivos para ele e divulgaremos aqui.



terça-feira, 14 de agosto de 2012

Vídeos: 3º EPE - I Colóquio sobre indisciplina

Baixe os vídeos usados no 3º EPE dia 07/08/12 acessando o site http://www.4shared.com/video/7ojHIWFV/EPE3PAZ1.html? e fazendo o download.

Vídeo: Tecnologia e Metodologia

Veja o vídeo e reflita:




Reportagem: Por que tantos jovens de 15 a 17 anos estão na EJA?

Conheça os motivos que fazem com que adolescentes estudem na Educação de Jovens e Adultos


A presença de adolescentes na Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Ensino Fundamental é preocupante: quase 20% dos matriculados têm de 15 a 17 anos. O número de alunos dessa faixa etária na modalidade não tem sofrido grandes variações nos últimos anos, apesar da queda no total de matrículas (28,6%). Dados da Ação Educativa com base nos Censos Escolares indicam que, em 2004, eram 558 mil estudantes e, em 2010, 565 mil. O cenário tem chamado a atenção dos especialistas da área. Por que esses adolescentes estão frequentando a modalidade, em vez de estar na Educação Básica regular? São vários os motivos (leia na última página os depoimentos de 13 estudantes). Alguns extrapolam os muros da escola, enquanto outros têm a ver diretamente com a qualidade da Educação, ou seja, envolvem o Ministério da Educação (MEC), Secretarias Municipais e Estaduais, gestores e, é claro, os professores que lecionam na modalidade.

Três grandes questões sociais fazem com que, todos os anos, muita gente desista de estudar ou então deixe a sala de aula temporariamente:


- Vulnerabilidade Muitos estudantes enfrentam problemas como a pobreza extrema, o uso de drogas, a exploração juvenil e a violência. "A instabilidade na vida deles não permite que tenham a Educação como prioridade, o que os leva a abandonar a escola diversas vezes. Quando voltam, anos depois, só resta a EJA", diz Maria Clara Di Pierro, docente da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP).

Trabalho A necessidade de compor a renda familiar faz com que muitos alunos deixem o Ensino Fundamental regular antes de concluí-lo. O estudo Jovens de 15 a 17 Anos no Ensino Fundamental, publicado este ano na série Cadernos de Reflexões, do MEC, revela que 29% desse público que está matriculado do 1º ao 9º ano já exerce alguma atividade remunerada, sendo que 71% ganham menos de um salário mínimo. A dificuldade de conciliar os estudos com o trabalho faz com que mudar para as turmas da EJA, sobretudo no período noturno, seja a única opção.

- Gravidez precoce A chegada do primeiro filho ainda na adolescência afasta muitos da sala de aula, principalmente as meninas, que param de estudar para cuidar dos bebês e, quando conseguem, retornam à escola tempos depois, para a EJA. Assim, não estudam com colegas bem mais novos e concluem o curso em um tempo menor. Segundo a Fundação Perseu Abramo, 20% dos meninos que largaram os estudos tiveram o primeiro filho antes dos 18 anos. Entre as mulheres, esse percentual é de quase 50%. Dessas, 13% se tornaram mães antes dos 15 anos, 15% aos 16 anos e 19% aos 17 anos.
O sistema educacional e seus problemas


Os demais motivos que levam a garotada a se matricular na EJA têm a ver com a falta de qualidade do sistema de ensino e suas consequências:

- Reprovação e evasão: O estudo do MEC aponta que a repetência de 17,4% na 7ª série e 22,6% na 8ª série só não é maior devido ao aumento da evasão escolar. Em 2005, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou que a taxa de evasão cresce continuamente ao longo dessa etapa de Educação (na 1ª série é de 1%, na 5ª, de 8,3%, e na 8ª, de 14,1%).

- Distância da escola no campo: Reunir alunos da zona rural em uma só escola núcleo é uma saída das redes para garantir que os professores alcancem o número mínimo de aulas e reduzir os gastos com infraestrutura e transporte. Isso, no entanto, nem sempre é positivo para muitos dos alunos: a distância passa a ser mais um empecilho para que sigam estudando.

- Desmotivação: Sem se interessar pelo que a escola oferece, vários adolescentes deixam de frequentar as aulas e só tempos depois retornam, cientes da importância dos estudos. Não só o currículo mas também a forma como ele é trabalhado provocam o desinteresse. "Às vezes, frequentar a igreja ou assistir à televisão são atividades mais atraentes do que o conteúdo das disciplinas", diz Eliane Ribeiro Andrade, professora da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ). Adequar as aulas às necessidades dos alunos que têm mais de 15 anos e ainda estão no Ensino Fundamental, e não esperar que o contrário ocorra, é um desafio. "Isso é possível quando são propostas diferentes estratégias para ajudá-los a superar as dúvidas e dificuldades do cotidiano", explica Cleuza Repulho, presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e secretária de Educação de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

- Decisão do gestor: Trata-se da atitude irresponsável de empurrar casos considerados problemáticos para as turmas de EJA. Dessa forma, os diretores buscam se livrar da indisciplina e evitar que os resultados da escola nas avaliações externas piorem, o que impacta o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Um verdadeiro processo de higienização do Ensino Fundamental, que reconhece as turmas de EJA como algo menor e sem importância. Para superar o problema, é preciso investir em formação e conscientização dos gestores.

Segundo Roberto Catelli Júnior, coordenador de projetos da Ação Educativa, a procura dos adolescentes entre 15 e 17 anos por vagas na modalidade deve se manter por um bom tempo, já que a taxa de conclusão do Ensino Fundamental na idade correta é muito baixa. Para ter uma dimensão do problema, somente seis em cada dez estudantes de 16 anos concluíram o 9º ano ou a 8ª série em 2009, segundo o movimento Todos pela Educação. "Os jovens que estão na EJA hoje já passaram pela escola regular e ela, por sua vez, não deu conta de garantir a eles a aprendizagem. Tempos depois, esses adolescentes retornam, dando mais uma chance para a instituição, que não pode desperdiçá-la", diz Cleuza.

Também podem estar entre os alunos da modalidade nos próximos anos aqueles que estão fora da escola atualmente. O mais recente levantamento a respeito feito pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) revela que 570 mil meninas e meninos entre 7 e 14 anos estão excluídos do sistema educacional brasileiro. Na população entre 15 e 17 anos, são cerca de 1,5 milhão.

Em 2007, o Conselho Nacional de Educação (CNE) discutiu a possibilidade de elevar para 18 anos a idade mínima para o ingresso no Ensino Fundamental da EJA (hoje, é exigido ter 15 anos). A medida, que tinha como objetivo proibir o ingresso de adolescentes na modalidade, não foi aprovada pelo MEC. Para Elaine, da UFRJ, a decisão foi acertada. "Em um mundo ideal, a proposta é muito boa. Mas não podemos tirar a oportunidade de milhares de adolescentes de estudar. Quanto mais possibilidades de atender essa população, maiores as chances de garantir a permanência na escola e a conclusão dos estudos."

Assim, colocá-los muitas vezes em turmas em que estudam colegas idosos não chega a ser um problema. Quando a gestão funciona, os professores são bem formados e o currículo é organizado levando em conta a pluralidade de idades, o clima pode ser harmonioso, e o contato com pessoas de idades diferentes, positivo. Quando o jovem está sozinho em meio a colegas mais velhos, no entanto, sente falta de se relacionar com pessoas da mesma faixa etária. "Não há regra. O problema é que nem sempre os professores estão preparados para resolver os problemas que surgem, como conflitos de opiniões entre gerações diferentes", explica Maria Clara, da USP.

Solução para o problema está distante
No âmbito mais amplo, no que se refere à gestão do sistema, os governos municipal, estadual e federal precisam atuar em conjunto com as Secretarias de Educação para atacar os problemas relacionados à vulnerabilidade, à gravidez na adolescência e ao ingresso precoce no mercado de trabalho. E as Secretarias, em parceria com as escolas, devem trabalhar para reduzir o tamanho das turmas para atender todos de modo adequado, assegurar o transporte escolar, selecionar material didático específico e garantir a formação dos professores. Este ano, há mais de 18 mil vagas em cursos para quem leciona para EJA, diz Carmem Gatto, coordenadora da modalidade no MEC.

Ignorar a urgência dessas tarefas só vai fazer com que a situação piore e comprometa as poucas boas notícias da área, como a pequena taxa atual do analfabetismo entre 15 e 18 anos, cerca de 1,5%.

Extraído da Revista Nova Escola.

sábado, 14 de julho de 2012

Bom recesso!

  Gostaríamos de desejar um bom recesso a todos os professores e alunos! Que todos nós aproveitemos muito e retornemos no segundo semestre com força, para que consigamos fazer com que este ano continue sendo muito produtivo e prazeroso.








terça-feira, 10 de julho de 2012

Culminância do projeto Feira de Matemática & Saúde e Qualidade de Vida - E. M. Professor José d'Alessandro

Este semestre nossas escolas desenvolveram os projetos "Saúde e Qualidade de Vida" e "Feira de Matemática".
Adoramos ver o empenho e dedicação dos alunos, professores, funcionários e direção.
Todos estão de parabéns pelos belíssimos trabalhos apresentados.
Veja agora algumas fotos da E. M. Professor José de Alessandro:











Culminância do projeto Feira de Matemática & Saúde e Qualidade de Vida - E. M. Drº Nilo Peçanha

Veja como foi a culminância na E. M. Drº Nilo Peçanha:






Culminância do projeto Feira de Matemática & Saúde e Qualidade de Vida - E. M. Vereador Orlando Hungria

Veja mais uma de nossas escolas dando show na culminância do Projeto Feira de Matemática e Saúde e Qualidade de vida.








Culminância do projeto Feira de Matemática & Saúde e Qualidade de Vida - E. M. Consuelo Estruc

A culminância na E. M. Consuelo Estruc foi mais ou menos assim... confira!






quarta-feira, 27 de junho de 2012

Encontro de Op's

Caros colegas,

no segundo encontro de OP's foi utilizado um material que disponibilizamos para quem quiser baixar. É fácil... basta clicar no título e fazer o download.
Bom trabalho!

Planejando uma aula
texto para consolidação dos conhecimentos
Avaliação Encontro de Formação


Culminância do projeto Feira de Matemática & Saúde e Qualidade de vida - E. M. Maria da Conceição Cardoso


Veja um pouquinho de como foi o projeto desenvolvido pela E. M. Maria da Conceição Cardoso! Parabéns a todos os envolvidos!
Equipe da EJA






terça-feira, 19 de junho de 2012

Sugestão de atividade - Ética & Cidadania


Fome e desigualdade social no mundo e no Brasil

Objetivos:

1. Despertar nos alunos o senso de solidariedade
2. Promover discussões que valorizem o voluntariado
3. Buscar alternativas para minimizar o problema da fome em comunidades carentes

Descrição:

Campanha de arrecadação de alimentos a serem distribuídos em comunidades carentes

Site Base:

Portal EduKb

Atividade - Diga não à fome!

Atividades:

1. Pesquisa em livros e Internet sobre a fome no mundo e seus desdobramentos;
2. Pesquisa em livros e Internet sobre a fome no Brasil e seus desdobramentos;
3. Levantamento de comunidades carentes nas proximidades da escola;
4. Planejamento de ações que possam minimizar os problemas levantados anteriormente;
5. Distribuição dos alimentos arrecadados com culminância na escola;
6. Redação e envio de carta aos governos locais mostrando resultados do projeto e pedindo atenção ao problema;

Dica para o Professor

1. A fome é um problema social gravíssimo, que cresce a cada dia em determinadas partes do mundo e de nosso país. Sem esquecer da enorme responsabilidade que o governo tem no que diz respeito ao assunto, o projeto pode vir a contribuir de forma imediata atuando em comunidades carentes que estejam nas proximidades, ou seja, que façam de alguma forma parte do contexto em que os alunos vivem. Apesar de algumas disciplinas estarem mais diretamente envolvidas nas atividades, é preciso que a mobilização envolva a escola como um todo, para que solidariedade e voluntariado não fiquem apenas no papel. E mãos à obra!

Sites de Apoio

Fome Zero
Josué de Castro
Ação Fome Zero
Cidadania na Internet

Autor do Projeto
Renata Portella de Moura
 * Publicado originalmente em: http://ailce.blogspot.com.br/2009_04_01_archive.html

Culminância do Projeto Valores - E. M. Companheiros de Maryland


A equipe de Jovens e Adultos da Semed gostaria de parabenizar a todo o grupo de profissionais da E. M. Companheiros de Maryland pelo trabalho apresentado na última quinta feira.
É muito bom quando fazemos a diferença e com certeza, vocês fizeram e muita, agora é só colher os frutos.
Parabéns!!!!!!

Equipe da EJA